NTFS, FAT32 OU EXFAT: Qual sistema escolher ao formatar um pendrive

Ao formatar um pendrive, disco rígido ou um cartão SD pelo Windows, são dadas três opções no menu de sistema de arquivos: NTFS, FAT32 ou exFAT. Todos possuem prós e contras, dependendo do uso da unidade de armazenamento e em qual dispositivo será colocado.

A compatibilidade com sistemas operacionais e aparelhos é um dos principais fatores a serem levados em consideração. Entenda abaixo o que é um sistema de arquivos, a definição de cada um e qual o formato adequado para diferentes unidades de armazenamento.

O que é um sistema de arquivos?

Um sistema de arquivos é um conjunto de regras utilizado para definir como os dados são guardados e organizados em uma unidade de armazenamento, seja um disco rígido, pendrive ou cartão SD. Cada sistema utiliza um método de organização e determina como os dados serão acessados pelos dispositivos. Veja abaixo qual é a diferença entre o NTFS, FAT32 e exFAT.

FAT32

FAT é a sigla para File Allocation Table, em português, Tabela de Alocação de Arquivos. O FAT32 foi lançado como novo padrão para o Windows 95, substituindo o FAT16. Entre os três sistemas indicados, é o mais antigo e por isso o que possui compatibilidade com o maior número de dispositivos e sistemas operacionais.

A maior parte dos pen drives são formatados em FAT32 justamente para garantir a leitura e gravação de arquivos em computadores com Windows, Mac OS e Linux, videogames e aparelhos que possuem uma porta USB. Em contrapartida, esse sistema não permite que arquivos individuais ultrapassem os 4 GB. Utilizar um cartãoSD em FAT32 em uma câmera pode implicar na divisão de arquivos ao fazer uma filmagem que atinja o limite, por exemplo.

É interessante utilizar o FAT32 em pen drives e dispositivos de armazenamento externo que possuem até 4 GB. O padrão também é útil para lidar com aparelhos e sistemas operacionais mais antigos, que não suportam as outras formatações.

NTFS

O NTFS foi lançado no Windows NT em 1993 e passou a figurar nas versões domésticas com o Windows XP. Ele conta com uma série de recursos para lidar com arquivos, como o journaling, que fornece permissão ao sistema operacional para manter um registro de todas as alterações feitas sobre um arquivo. Assim, caso aconteça um erro durante a gravação de um dado, existe a possibilidade de restauração dos arquivos.

Além disso, arquivos individuais e partições possuem limites de tamanho praticamente ilimitados e há uma série de mecanismos de segurança, o que o torna ideal para instalações do Windows.

Esse padrão não é interessante para pen drives e unidades de armazenamento externo por contar com atividades de leitura e gravação maiores em relação ao FAT32 ou o exFAT, o que diminui a vida útil dos dispositivos. A compatibilidade é outro problema: consolesPlayStation não o suportam, computadores com Mac OS fazem apenas leitura e entre os consoles da Microsoft, apenas o Xbox One possui compatibilidade.

exFAT

O exFAT surgiu apenas em 2006 e foi adicionado ao Windows XP e Windows Vista por meio de atualizações. É um sistema de arquivos otimizado para pen drives, feito para ser eficiente como o FAT32, mas sem limitações com o tamanho dos arquivos. Ou seja, assim como acontece no NTFS, o limite de tamanho de arquivo individual e de partição é praticamente ilimitado.

O sistema é compatível com diversos dispositivos e sistemas operacionais. A maioria das câmeras digitais, os computadores com Windows e Mac OS e os consoles da nova geração suportam o exFAT. Falta compatibilidade, porém, com o Xbox 360 e o PlayStation 3 e no Linux, é preciso instalar softwares adicionais.

É interessante utilizar o exFAT em pen drives e dispositivos de armazenamento externo com mais de 4 GB de espaço.

Resumidamente, o NTFS é ideal para HDs internos que lidam com o Windows, enquanto o exFAT é a melhor opção para pen drives e HDs externos. O FAT32 é útil para lidar com dispositivos que não suportam os outros sistemas de arquivos.

 

Fonte:  Techtudo – G1.com

Anatel proíbe operadoras de limitarem internet fixa ‘por tempo indeterminado’

Agência determinou que operadoras estão proibidas de reduzir velocidade, suspender serviço ou cobrar por tráfego excedente.

Limite Internet

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) proibiu, por tempo indeterminado, as operadoras de banda larga fixa de bloquear a conexão de usuários que extrapolarem os limites dados mensais.

A agência, alvo de críticas e até ataques de hackers por causa de decisões sobre o tema, diz, em comunicado, que vai examinar o assunto.

Nesta semana, o presidente da Anatel, João Rezende, afirmou que “a era da internet ilimitada acabou”. Para ele, não há mais possibilidade para que as operadoras de banda larga fixa ofereçam serviços sem uma limitação, o que obrigará o segmento a migrar para o modelo de franquias, semelhante aos serviços de internet móvel.

Com isso, usuários seriam obrigados, por exemplo, a baixar o consumo de vídeos, que consomem muitos dados.

Do lado das operadoras, a estratégia varia. A Vivo havia anunciado que começaria a aplicar o bloqueio a partir de 2017, mas agora diz que não vai fazer isso “por tempo indeterminado”, e que sempre “desde planos mais acessíveis até planos ilimitados”. A Net já reduz a velocidade de usuários que estouram o pacote, e a Oi diz que não faz nenhuma das duas coisas.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Drone que segue dono para tirar selfies é um dos destaques do Festival SXSW

Drone (2)Evento já foi palco no passado de lançamentos ou divulgação de empresas até então pouco conhecidas como Twitter, Foursquare, Meerkat e Oculus Rift

Um drone que persegue seu dono para tirar fotos e filmá-lo em ação, uma câmera com oito lentes e um aplicativo para acabar com a fome no mundo estavam entre os finalistas de um prêmio de inovação do festival South by Southwest (SXSW), que acontece em Austin, no Texas.

Ainda que mais popular pelos shows, já que a cidade é considerada a capital mundial da música ao vivo, o evento reserva um grande espaço para tecnologias emergentes e já foi palco no passado de lançamentos ou divulgação de empresas até então pouco conhecidas como Twitter, Foursquare, Meerkat e Oculus Rift.

Neste ano, na premiação para o SXSW Interactive Innovation Awards, as novidades incluem a câmera de 360 graus OZO, da Nokia, a primeira profissional a chegar ao mercado para realidade virtual, uma das tendências mais onipresentes da indústria neste ano. A câmera tem formato de bola, com oito lentes acopladas e custa US$ 60 mil. As vendas começaram há dez dias.

Empresa promete celular com tela flexível para “enrolar” no pulso

Celular de pulso enrolávelCompanhia britânica quer popularizar tecnologia de displays maleáveis

A Mobile World Congress concentrou a atenção dos aficionados por celulares no fim de fevereiro e, a partir de agora, começa a contagem regressiva para que os modelos apresentados na feira – como os novos Galaxy S7, da Samsung, e o G5, da LG – cheguem às lojas. Correndo por fora, fabricantes menos badaladas também conseguiram despertar curiosidade, ou até certa estranheza.

Foi o caso da britânica FlexEnable, empresa especializada em desenvolver componentes eletrônicos flexíveis, como sensores e displays, para serem usados em equipamentos das mais diversas áreas, da medicina à indústria automotiva. A companhia apresentou seu protótipo de uma tela flexível que pode ser “enrolada” no pulso do usuário, mesclando os conceitos dos tradicionais smartphones com pulseiras inteligentes.