Governo de Santa Catarina renova plataforma de comunicações unificadas

Ferramenta Rainbow, da Alcatel-Lucent Enterprise, permite integração de voz e dados dos órgãos do governo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Governo de Santa Catarina firma parceria com a ALE, que atua sob a marca Alcatel-Lucent Enterprise, para a implantação da plataforma Alcatel-Lucent Rainbow como ferramenta de comunicação e colaboração corporativa dos funcionários públicos do estado. Por meio da Secretaria de Estado da Administração (SEA-SC), a implantação de uma solução inovadora tem como objetivo incentivar a colaboração corporativa. A partir de agora, Rainbow é a forma de comunicação interna em diversas secretarias e entidades do Governo de Santa Catarina.

 

“Todas as iniciativas da Secretaria da Administração têm como foco otimizar as aquisições realizadas pelo Governo do Estado. Estamos sistematicamente buscando soluções que possam gerar benefícios em iniciativas integradas, com preferência para sistemas abertos que nos ofereçam a possibilidade de ampliação com o menor custo e o máximo de aproveitamento”, pontua destaca o Secretário de Estado da Administração do Governo do Estado de Santa Catarina, Milton Martini.

 

O novo recurso permite uso de chat, áudio e vídeo, para manter os funcionários públicos sempre conectados, em qualquer lugar, com diversos tipos de dispositivos. Na primeira fase do projeto será possível a 40 mil funcionários trocar mensagens de texto, áudio e vídeo; compartilhar arquivos; criar grupos por área de atuação; e receber comunicados oficiais do governo. A previsão é de que, até o fim de 2018, 90 mil funcionários terão os mesmos recursos disponíveis.

 

O parceiro de negócios da ALE responsável pela implantação do projeto foi a Intuitiva Tecnologia, integradora de soluções em comunicação e colaboração. A instalação já chegou a diversos órgãos do Governo de Santa Catarina como Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Educação, Secretaria de Estado da Administração, Secretaria de Estado da Infraestrutura, Secretaria de Estado de Articulação Nacional, Secretaria de Estado do Planejamento, Defensoria Pública do Estado, entre outros.

 

De acordo com Nuno Ribas, head em Cloud Business para a região EUSO da Alcatel-Lucent Enterprise, “uma só plataforma de comunicação é o primeiro passo para o conceito de comunicações unificadas, o que exige uma infraestrutura de TI preparada para a enorme demanda da carga gerada por funcionários que usam cada vez mais dispositivos móveis e aplicações no ambiente de trabalho”.

 

Para o executivo, preservar o investimento inicial sempre que houver atualizações e novos produtos também é uma prioridade do projeto. Portanto, a escolha por projetos baseados em uma estrutura própria enxuta e serviços em nuvem é ideal, principalmente quando associada aos sistemas de comunicação existentes.

 

Fonte: decisionreport.com.br

ALE reforça estratégias para a transformação digital

Modelo de negócios está estruturado em verticais como hotelaria, educação, transportes, saúde e governo.

A ALE, que opera sob a marca Alcatel-Lucent Enterprise, trabalha para a transformação na forma de fazer negócios, dirigindo-se aos segmentos verticais e aos serviços baseados em Cloud Computing. No momento em que a marca assume um papel de liderança no mercado de redes corporativas de dados e voz, empenha-se em aperfeiçoar suas soluções baseadas nos conceitos como Network on Demand, Cloud, Plataform as a Service (PaaS), Internet das Coisas (IoT) e Comunicações Unificadas as a Service (UCaaS).

Porém, o modelo tradicional de comunicação para impulsionar negócios continua a receber a mesma dedicação da equipe da ALE e de seus Parceiros de Negócios. De acordo com Nuno Ribas, vice-presidente de Cloud Business da Alcatel-Lucent Enterprise para CALA e Sul da Europa, Oriente Médio e África, o momento é de reorganização com foco no entendimento pleno das necessidades dos clientes. “Nossa estrutura de negócios está orientada às verticais como hotelaria, educação, transportes, saúde e governo, pois as soluções devem oferecer recursos que atendam todos os objetivos de resultados dos clientes”, explica. As plataformas de comunicação são fundamentais para que as organizações atinjam os resultados esperados no momento de transformação pelo qual passamos.

A estratégia da ALE não deixaria de privilegiar o relacionamento com os Parceiros de Negócios em todas as regiões. Conceitos como PaaS, UCaaS, IoT, Network on Demand estão totalmente inseridos nos programas de capacitação aos Parceiros e na nova forma de trabalho. A ideia é proporcionar aos clientes uma oferta única e flexível de nuvem, onde tudo é conectado para se integrar a processos de negócios e aplicativos, sejam eles internos ou de terceiros.

 

FONTE:  IPNEWS.COM.BR

 

A impressora travou? Saiba como resolver os problemas mais comuns

Apesar de úteis, as impressoras às vezes apresentam problemas que, normalmente, os usuários não sabem como solucionar. Veja quais são os problemas mais comuns apresentados pelas impressoras e como resolver:

 

1. Fila de impressão
A fila de impressão se forma quando a impressora tem um acúmulo de arquivos que precisam ser impressos, que pode ser causado por algum problema no papel ou arquivos muito pesados, e acaba atrasando todo o processo.

Nesse caso, se o seu computador for um Windows, basta acionar o “Ctrl+Alt+Del”, abrir o painel de controle e cancelar os arquivos que estão apresentando problema. Caso seja um Apple, essa função é encontrada em “Utilitários de Impressão”.

2. Tinta
Caso a folha tenha saído em branco ou então manchada, o problema é na tinta – se ela estiver velha e seca, a impressora pode parar de funcionar. Para resolver o problema, basta trocar ou recarregar o cartucho. Não se esqueça de verificar se ele está instalado corretamente e evite produtos piratas, pois além de danificarem o aparelho, podem ser recusados pela impressora.

3. Papel preso
Um problema muito comum entre as impressoras é o engasgo com papel, o que significa que a folha de papel ficou presa na máquina. Se isso acontecer, desligue a impressora, e puxe, com cuidado, o papel para fora, seguindo o sentido em que ele sairia normalmente.

Verifique se não ficou nenhum pedaço preso na impressora, coloque novas folhas e ligue. O processo de impressão deverá recomeçar de onde foi interrompido. Para evitar que o papel engasgue novamente, organize as folhas na bandeja de impressão e confira se elas não estão coladas umas nas outras, para evitar que a impressora puxe várias ao mesmo tempo.

4. Queda de energia
Caso haja uma queda de energia enquanto você está utilizando a impressora, desligue-a imediatamente. Além de evitar danos quando a energia voltar, você ainda impede que o processo de impressão recomece enquanto você remove a folha parcialmente impressa.

Retire o papel que ficou impresso pela metade, ligue a impressora e veja se ela não indica nenhum sinal de erro. O aparelho deve retomar a impressão sozinho, se não, mande o arquivo para impressão novamente.

5. Papel fotográfico
Os papéis fotográficos possuem um lado certo de impressão, já que o outro não absorve tinta e pode sujar toda a impressora. Se você colocou o papel do lado errado, tente interromper a impressão e retire-o com cuidado para não espalhar a tinta – você pode utilizar lenços ou papel toalha para não sujar as mãos.

Se não deu tempo de cancelar a impressão e a tinta se espalhou, utilize produtos de limpeza para retirar a mancha. Caso a tinta tenha caído dentro da impressora, abra a tampa de acesso aos cartuchos, retire-os e desligue a máquina; passe um pano que não solte fiapos com um pouco de álcool para tirar a tinta. Depois disso, faça um teste de impressão e verifique se o papel não ficou manchado.

Essas são as soluções para os problemas mais comuns com as impressoras, se o seu aparelho estiver apresentando falhas, fazendo barulhos estranhos ou então não ligar, procure uma assistência técnica.

 

Fonte: olhardigital.uol.com.br

https://olhardigital.uol.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/a-impressora-travou-saiba-como-resolver-os-problemas-mais-comuns/67335

Microsoft oferece ferramentas gratuitas para ajudar profissionais de TI

Além de serviços disponíveis nos programas a computação na nuvem, os recursos também contam com sugestões feitas por especialistas no setor.

tecnologia-e-comunicacaoA Microsoft lança, nesta semana, dois programas para ajudar os profissionais de TI a se manterem atualizados no segmento de computação na nuvem. Os dois são gratuitos e contam com uma série de ferramentas.

O primeiro deles é o Microsoft IT Pro Cloud Essentials, uma assinatura que dura um ano e traz créditos do Azure e avaliações estendidas do Office 365 e o Enterprise Mobility. Há ainda três meses grátis da Pluralsihgt, vouchers para provas de certificação e suporte nos fóruns do TechNet.

A segunda ferramenta é o Microsoft IT Pro Career Center, um recurso online para ajudar o profissional a definir seu percurso de carreira, de acordo com sua personalidade. O recurso conta também com sugestões feitas por especialistas no setor.

 

Fonte:  IP NEWS

Intel aponta quatro principais tendências para 2017

Líderes da empresa apresentam as tecnologias que definirão o futuro da companhia e da indústria.

tecnologia-e-comunicacaoInteligência Artificial: segundo a Intel, hoje existem mais dados do que os seres humanos conseguem consumir, sintetizar ou dar algum uso. No entanto, com as tecnologias de inteligência artificial (AI), já é possível compreender, interpretar e utilizar de forma mais eficiente toda essa informação.

Para Gayle Sheppard, gerente geral da Saffron Technology, empresa de computação cognitiva adquirida pela Intel, 2017 será o ano em que os sistemas de decisão habilitados pela AI serão incorporados por diversas indústrias. A vantagem será extrair informação de dados não estruturados, auxiliando empresas de serviços financeiros a melhorarem a detecção e prevenção de fraudes, ou ajudar comerciantes a individualizarem as recomendações de produtos para obterem melhores resultados de vendas.

“Com a AI, temos a oportunidade de ir além do pensamento tradicional sobre os sistemas de suporte de decisão para construir sistemas possibilitam entender e colaborar em tomadas de decisões de forma mais relevante e eficiente”, diz a executiva.

Realidade Virtual e Aumentada: apesar de ser associadas a jogos e entretenimento, a tendência é que as realidades virtual e aumentada (VR/AR) sejam aplicadas em planilhas, processamento de texto e email. De acordo com Remi El-Ouazzane, executivo-chefe da Movidius, empresa que a Intel adquiriu em 2016, a colaboração no local de trabalho deverá estimular a adoção dessas tecnologias.

O executivo acredita que a VR/AR poderá prover um ambiente onde engenheiros de diferentes locais de todo o mundo poderiam andar em torno de um motor, trabalhando juntos como se estivessem fisicamente no mesmo lugar, ao mesmo tempo.

Para isso, os computadores precisarão processar visuais com a velocidade e a precisão de um olho humano. Trabalhando com a Intel e sua tecnologia de reconhecimento de profundidade, a Movidius pode combinar a sua unidade de processamento de visão e trabalhar para que o exemplo acima se torne realidade.

“Na realidade combinada, estamos confrontando dois mundos, o mundo real que podemos ver com nossos olhos e um mundo gerado por computador. O monitor onde esses elementos sintéticos são renderizados precisam ser bons o bastante para que cérebro humano entenda como real”, completa o executivo.

Carros autônomos: Kathy Winter, gerente geral da divisão de soluções de condução autônoma da Intel, espera que esse ano mais carros autônomos estejam nas ruas e estradas, coletando dados para pavimentar o caminho para uma ampla adoção de veículos autônomos seguros e confiáveis.

Para ela, já há uma mudança na indústria automotiva, com um foco menor na aparência dos veículos, se voltando mais no que eles conseguem fazer. Com a função superando a forma, a indústria está pronta para tecnologias base para comunicações e computação que a Intel oferece.

5G: já pensando em um futuro próximo, está a rede 5G, que deverão estar disponíveis a partir de 2020. Mas o que Rob Topol, gerente geral de negócios e tecnologia 5G da Intel, espera é que esses testes 5G ganhem força em 2017.

Um grande avanço estará nos dispositivos protótipos usados para os testes. “Será possível ver a mudança nas plataformas de testes, usando formatos cada vez mais móveis e específicos para cada segmento”, disse Topol.

Ao contrário das tecnologias 4G, onde grande parte do foco está em criar smartphones mais rápidos, os líderes das indústrias procuram a 5G para fornecer melhores taxas de dados (1-20 Gbps), menor latência e a capacidade necessária para o florescimento da Internet das Coisas (IoT), novos modelos de serviço e novas experiências imersivas. “Sem a 5G, a Internet das Coisas não alcançará o seu potencial”, completa Topol.

Fonte: IP NEWS

Esqueça a ficção científica. A Inteligência Artificial já está em nossas vidas.

 

Filmes de ficção científica criaram uma imagem romântica da Inteligência Artificial. São histórias de amor impossíveis entre pessoas e máquinas, como em Ela (2014) ou AI (2001), ou robôs malvados, como o Exterminador do Futuro (1985). Esqueça o que você viu no cinema. A Inteligência Artificial, ou simplesmente IA, já é realidade – e é algo muito diferente.

Graças ao poder da computação em nuvem, a algoritmos avançados e à capacidade de análise de dados, esse campo da tecnologia explodiu. Cientistas de dados e desenvolvedores estão livres para criar – hoje – tecnologias com que nós apenas sonhávamos há poucos anos. Alguns exemplos: em parceria com o Uber, desenvolvemos um sistema de reconhecimento facial por smartphones que traz mais segurança a motoristas e passageiros. Anunciamos há algumas semanas uma parceria com o Hospital 9 de Julho, de São Paulo, para desenvolver um sistema que identifica riscos de queda de pacientes internados. Estes são apenas alguns casos. O que esses exemplos têm em comum? Eles são casos práticos que demonstram que a partir da análise de grandes quantidades de dados, convertendo-os em inteligência, é possível resolver problemas cotidianos das pessoas e das empresas. A Inteligência Artificial tem um poder de inovação que vai além dos negócios. Ela pode trazer um salto de qualidade de vida e conforto para toda a humanidade.

Eis a nossa visão: a Microsoft escolheu o caminho da democratização da Inteligência Artificial. Dessa maneira vamos transformar o que parecia ficção científica em realidade. Rapidamente. Estamos tomando uma série de medidas para que IA faça parte do nosso dia a dia. Hoje, 5.000 cientistas e engenheiros da Microsoft Research em todo o mundo se dedicam à missão de desenvolver a tecnologia de IA.  Também anunciamos na semana passada uma parceria com a OpenAI, a organização de pesquisas sem fins lucrativos fundada pelo bilionário Elon Musk, dono da Tesla.

Só conquistaremos nosso objetivo se trabalharmos ao lado de programadores. Por isso, investimos em educação. Disponibilizamos cursos gratuitos de IA para desenvolvedores de todo o mundo – eles estão abertos na Microsoft Virtual Academy (em inglês). Também abrimos, na plataforma de cursos online de Harvard e do MIT, um curso para quem deseja iniciar na área de ciência de dados. O resultado dessas iniciativas é uma aceleração na adoção da IA. Mais de 50.000 desenvolvedores em todo o mundo já estão produzindo bots com tecnologia Microsoft.

E o que vamos fazer com Inteligência Artificial? A tecnologia está aqui para eliminar obstáculos da vida real. Na Microsoft, organizamos nossa visão sobre Inteligência Artificial em quatro frentes:

Agentes – São as assistentes pessoais, como a Cortana. Elas resolvem e eliminam as tarefas simples do dia a dia, como por exemplo, aprender o caminho que fazemos para o trabalho e nos avisar todas as manhãs como está o trânsito.

Aplicações – É possível infundir inteligência em cada app que usamos. A Microsoft, por exemplo, comprou em fevereiro deste ano a SwiftKey, que faz um dos mais usados corretores de teclado virtual. Com IA, o corretor vai aprender como escrevemos, as palavras que mais usamos. O teclado não está mais conectado à máquina, mas a você.

Serviços – Possibilitar que desenvolvedores em todo o planeta usem esses serviços inteligentes ou cognitivos para a construção de soluções aplicáveis à resolução de qualquer problema da sociedade. Por exemplo, ao lado da Volvo, criamos um carro inteligente, que reconhece movimentos inseguros da pessoa ao volante e soa alarmes para evitar acidentes.

Infraestrutura – A nuvem é o único lugar onde a capacidade computacional de Inteligência Artificial pode ser construída. É esse poder de processamento que está ajudando oncologistas a vasculhar automaticamente milhões de trabalhos para encontrar uma pesquisa genômica aplicável ao diagnóstico de um câncer específico. A genética pode agora fazer em horas algo que antes levava meses. Essa é a escala de grandeza.

Vale dizer também que essa nova onda promissora também traz desafios porque vai eliminar posições de trabalho que envolvam tarefas repetitivas e automatizáveis. E novas profissões surgirão. Por isso, precisamos criar condições para que os brasileiros e brasileiras possam competir em um mercado de trabalho global e mais competitivo. Nós temos na Microsoft um conjunto de programas de apoio à educação e ao empreendedorismo que chamamos de Jornada Empreendedora. É o principal compromisso da Microsoft com o Brasil.

A IA é uma grande oportunidade.  As ferramentas estão aí. E uma última boa notícia: os desenvolvedores e programadores brasileiros não só dominam as novas tecnologias como são reconhecidamente criativos e inovadores em seu uso.

Com isso, esqueça a ficção científica. Sem dúvida, inteligência artificial é uma realidade.

Paula Bellizia é presidente da Microsoft Brasil.

 

Uso da vídeo conferência no mercado de recrutamento e seleção cresce no Brasil

Números mostram que as empresas brasileiras estão cada vez mais interessadas em adotar essa ferramenta para agilizar e otimizar o processo de contratação de profissionais.videoconferencia1

O interesse em adotar a vídeo entrevista como uma ferramenta complementar ao processo de recrutamento e seleção tem crescido de forma considerável no Brasil. É o que mostra uma pesquisa realizada com 240 recrutadores espalhados pelo país, que são clientes ou prospects do Compleo ATS (Applicant Tracking System) – serviço de recrutamento e seleção que traz as últimas tendências do mercado para ajudar empresas a contratar os melhores talentos de forma mais fácil, ágil e automatizada.

Dos entrevistados, 45% já utilizaram o vídeo alguma vez e 52,4% têm interesse em testar. “A soma dos que já aplicaram a vídeo entrevista com os que têm interesse em aplicar totaliza 73,82% dos entrevistados, ou seja, há no Brasil uma grande porcentagem de potenciais recrutadores que realizam ou gostariam de realizar as entrevistas via vídeo”, comenta Wagner Costa Santos, Diretor do Compleo ATS.

O estudo mostrou ainda que a diminuição do tempo gasto no processo seletivo é o principal benefício apontado pelos recrutadores, com 56,86%. Já a maior autonomia para controlar a agenda de entrevista foi eleita por 51%, como a principal vantagem em utilizar esse tipo de recurso. Fatores como colaboração e compartilhamento somaram 25,4%, e 45,10% respondeu que o aumento do alcance de candidatos potenciais é a principal contribuição gerada pela vídeo entrevista.

“Os números apontam que o mercado está cada vez mais maduro em relação aos benefícios que a aplicação do vídeo agrega ao processo seletivo. Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam investir em opções que otimizem e aperfeiçoem este processo, tornando-o mais rápido e eficiente. Neste sentido, a vídeo entrevista tem se mostrado não só uma tendência, como também uma alternativa para reduzir custos e otimizar o tempo dos entrevistadores e dos entrevistados”, comenta.

Segundo o diretor, aplicando o vídeo é possível reduzir o tempo de triagem em cerca de 83%, já que ele diminui a quantidade de entrevistas presenciais ao trazer para esta etapa apenas os candidatos aderentes ao perfil da vaga. Além de ganhar tempo na etapa de recrutamento, o serviço também pode reduzir custos com viagens. “É possível usar entrevistas gravadas ou ao vivo para entrevistar candidatos que estejam fora do estado ou do país, evitando gastos com passagens. Em tempos de crise, como a que estamos vivendo no Brasil, isso representa um valor importante”.

“Por todas essas vantagens, o vídeo deveria ser parte integrante da estratégia das áreas de RH das empresas, e ser considerado essencial no processo de Recrutamento e Seleção, fazendo a diferença na agilidade, no custo e no tempo envolvidos nas etapas da busca por um profissional ideal”.

Lançado em 2014, o Compleo ATS já atingiu a marca de mais de 4 mil vídeo entrevistas executadas. As agências de RH têm sido as mais interessadas pelo serviço. “As agências podem compartilhar o vídeo com o cliente solicitante da vaga, assim o processo de avaliação pode ser feito em conjunto. Desta forma, a avaliação não fica apenas com o analista de RH, se tornando colaborativa, ou seja, todos os envolvidos e interessados no processo podem avaliar a entrevista e formar suas opiniões”, finaliza.

Mercado de Comunicações Unificadas vai movimentar US$ 96,0 bilhões em 2023

Segundo pesquisa feita pela Global Market Insights, Inc., a proliferação constante de produtos hospedados em nuvem será uma das principais tendências.

unified communicationsO mercado global de comunicações unificadas irá movimentar US$ 96 bilhões em 2023, segundo pesquisa recente da Global Market Insights, Inc. O levantamento indica que o setor será puchado pelas soluções hospedadas em cloud computing, segmento que deve saltar dos US$ 14 bilhões de receita em 2015 para US$ 49 bilhões até 2023.

Também será crescente a adoção de mobilidade, ferramenta que deve impulsionar a demanda ao longo do período. As assinaturas móveis totais até 2023 estão previstas para ultrapassar 9,5 bilhões, tendo os smartphones e o tráfego de dados móveis na liderança de crescimento.

Enquanto os mercados desenvolvidos – EUA e Europa – continuam registrando demanda estável, as assinaturas de smartphones serão em grande parte impulsionadas pela região Ásia-Pacífico.
O avanço dos produtos hospedados em nuvem se dá principalmente porque estas soluções eliminam o custo da infraestrutura e oferecem um sistema de gestão centralizada.

As tecnologias Unified Communications as a Service (UCaaS) incluem telefonia, mensagens corporativas e tecnologia de presença, videoconferências e reuniões on-line. UCaaS oferece flexibilidade e escalabilidade junto com alta disponibilidade para tarefas de negócio.

O crescimento das implementações tem sido motivado por inúmeras vantagens, tais como a boa relação custo-benefício-eficiência; os pagamentos de acordo com a necessidade e exigência; e a redução do tempo de viagem. UCaaS também elimina a limitação de operações síncronas de unidades geograficamente dispersas.

O setor de governo tem testemunhado o aumento da adoção de sistemas de comunicação unificada para atender as necessidades dos cidadãos relativas à segurança pública e processamento licença. Essas soluções ajudam os governos a lidar com situações de emergência e de crise, por exemplo.
A pesquisa indica que esse segmento deve exceder US$ 20 bilhões em 2023. A aplicação de UCaaS na área de governo ajuda a responder às necessidades dos cidadãos, ao mesmo tempo reduzir os custos de infraestrutura. Além disso, contribui para o aumento de produtividade, simplificando os processos de comunicação, automação de processos manuais, e consolida aplicações de comunicação.

A computação em nuvem tem sido cada vez mais adotado pelos prestadores de serviços, devido à flexibilidade que oferece juntamente com a relação custo-eficácia. O aumento da procura de comunicação em tempo real resultou em um novo perfil de fornecedores, que facilitam conversas mais rápidas por streaming de vídeo e por dispositivos dos clientes. O BYOD (Bring Your Own Device), a conexão de dispositivos pessoais, incluindo tablets, notebooks, PCs e smartphones, nas redes corporativas gera benefícios financeiros. O mercado global de BYOD deve ultrapassar US$ 365 bilhões até 2023.

 

Fonte:  IP NEWS

Mercado global de videoconferência vai movimentar US$ 4,48 bi em 2023

De acordo com estudo “Enterprise Video Conferencing”, feito pela Credence Research, crescimento será de 7,5% ao ano entre 2016 e 2023.

Videoconferência recurso de tecnologia da comunicação

O mercado global corporativo de videoconferência vai crescer 7,5% ao ano, entre 2016 e 2023, de acordo com o estudo “Enterprise Video Conferencing”, feita pela Credence Research. Com isso, os negócios devem saltar de US$ 2.491 bilhões, em 2015, para US$ 4.48 bilhões, em 2023.

De acordo com o estudo, as corporações são os maiores consumidores de soluções de videoconferência, um recurso adotado para reduzir custos e aumentar a colaboração entre equipes. Da mesma forma, a ferramenta gera benefício para as organizações com múltiplas localizações geográficas que requerem a colaboração frequente.

As soluções de videoconferência estão disponíveis tanto no modelo on-premise set-up, bem como cloud-based. Os fornecedores também oferecem soluções gerenciadas, com foco em baixo custo. Como resultado, o mercado está testemunhando uma mudança de paradigma para soluções baseadas em nuvem devido aos seus baixos custos em comparação com a implantação no local.

 

Fonte:  IP NEWS